Watch videos with subtitles in your language, upload your videos, create your own subtitles! Click here to learn more on "how to Dotsub"

An anthropological introduction to YouTube

0 (0 Likes / 0 Dislikes)
. I want to start with a story. In 1989, just as Tim Berners-Lee is launching the foundation of what would become the World Wide Web, Kevin Kelly is invited by ABC to consult about where to go with this internet thing. A internet estava come?ando a chamar aten??o e a ABC queria saber o que fazer sobre o assunto. E Kevin Kelly deu o melhor que podia, mas ABC n?o estava disposta a comprar a id?ia. De fato, mais tarde Stephen Weiswasser sugeriu �Voc? n?o vai transformar consumidores passivos em sujeitos ativos na internet� ent?o podemos olhar para o quadro hoje e conferir como estamos agora em 1948 a ABC come?ou suas transmiss?es e se transformou no terceiro canal a fazer isso, ent?o se voc? pensar nisso, foi h? 60 anos 2008 � 1948 = 60 anos se esses 3 canais estivessem transmitindo todo dia durante todas as horas do dia, durante esses 60 anos seriam mais de 1.5 milh?es de horas de programa??o o que ? bastante Mas YouTube produziu mais nos ?ltimos 6 meses E eles fizeram isso sem produtores eles fizeram isso como pessoas iguais a voc? e eu .. como qualquer pessoa que j? publicou qualquer material no YouTube Ent?o o YouTube hoje tem 9000 horas de material que ? publicado todos os dias O que ? o equivalente a quase 400 canais de TV sempre no ar ... mas na realidade n?o s?o 400 canais de TV sempre no ar... ... pois s?o na realidade 200.000 v?deos de 3 minutos E confiem em mim, eu j? assisti aproximadamente 80.000 v?deos nas ?ltimas 3 semanas E isso n?o ? �m?dia de massa�! Um grande percentual desses v?deos ? na realidade destinado a menos de 100 espectadores o que ? realmente um fen?meno interessante ... e 88% do conte?do que vem pelas portas da frente ? novo e original O que ? na realidade melhor do que as emissoras fazem! Ent?o... essa ? a parte dos n?meros E a nossa hist?ria aqui ? na realidade sobre novas formas de express?o e novas formas de comunidades e novas formas de identidade que est?o emergindo Ent?o em vez, eu quero come?ar com uma outra pequena hist?ria que se inicia com o POP dos Moldovos ... estava todo mundo, assim, excitado ent?o isso foi lan?ado em 2003 e se torna um grande sucesso na It?lia em 2004 ... se espalha pela Europa mais tarde naquele ano... A? viaja para o Jap?o, onde se mixa com a cultura da anima??o, onde pessoas come?am a fazer v?deos disso. Um desses v?deos viaja para os sub?rbios de New Jersey... ... e l? Garry Brolsma olha para a sua WebCam e fala: Ol?! Ent?o este ? como um grande momento... Vamos ouvir a m?sica por 1 segundo D? para ouvir? Ent?o tem esse ?timo momento, Garry Walk escreveu sobre isso, e diz: �Os v?deos de Brolsma sozinhos justificam a exist?ncia de webcams� ... e continua, dizendo... ... por que aqui est? ele sentando em seu quarto de sub?rbio e... ... ele est? realmente levando a coisa a s?rio... ... flertando com sua webcam... estranhamente tomado pela m?sica! ? um filme de algu?m que est? tendo o momento de sua vida e quer compartilhar sua alegria com todo mundo... e n?o se importa com o que os outros pensam Ent?o esse v?deo, obviamente, se torna um imenso fen?meno Algumas pessoas sugerem que ele foi visto 600 milh?es de vezes Eu n?o tenho certeza de qual seria a estat?stica correta... Mas aqui voc? v? alguma coisa Um adolescente de New Jesey encontra-se nas caixas de email de todos os lugares... e, pessoal, ESSE ? que ? o verdadeiro neg?cio Ent?o ele est? no "Today�s Show" e no "VH1" na melhor semana de todas ? como a nova estrela "cyber", comparado ao garoto do Starwars Isso ? em fevereiro de 2005 ... e nesse meio tempo YouTube est? apenas sendo criado ... ent?o Chad, Steve e Jawed est?o apenas registrando o YouTube... Em 23 de abril de 2005 eles lan?am o YouTube e t?m os primeiros v?deos postados naquele dia E isso foi realmente interessante, pois na realidade criou um novo tipo de plataforma At? aquele momento era na realidade muito dif?cil publicar v?deos na web E de repente todo mundo de repente podia se juntar ?quela loucura de �numa-numa� ... o que foi de fato feito. pode-se ver mais de 58.000 v?deos que foram publicados... e voc? ver? pessoas por todo o mundo aderindo a essa dan?a e isso se torna um fen?meno muito importante que est? acontecendo... e Gary Walk, novamente, tem uma ?tima cita??o quando aborda o assunto... ... ele diz: �eles come?am a parecer menos como uma piada infecciosa, mas mais como uma nova ordem cultural. Esses meninos n?o est?o debochando o cara do 'numa-numa', mas o venerando. E ? bonito de ver, pois eles est?o replicando e espalhando sua alegria. Eles est?o seguindo um ritual que ? significativo, mas que ainda n?o ? vener?vel... aprendendo a dan?a, cantando a m?sica, documentando suas performances, tornando-a dispon?vel para o mundo ver�. ent?o eu gosto de pensar no Garry como o primeiro cara na pista de dan?a... ... desse mixer global e tem muito mais acontecendo, al?m da dan?a e quando voc? pensa na alegria que as pessoas est?o expressando... ... e a divers?o que est?o tendo enquanto fazem essa dan?a gosto de pensar nisso como al?m de uma dan?a, como uma celebra??o ? uma celebra??o de novas formas de poder qualquer um com uma webcam agora tem presen?a e voz mais fortes ? uma celebra??o de novos tipos de comunidade, que ainda n?o conhecemos conex?es globais que transcendem o espa?o e o tempo ? uma celebra??o de novas e inimagin?veis possibilidades Pode-se falar que isso ? apenas uma moda que s?o s? pessoas dan?ando e se divertindo Mas pensem diante do qu? elas est?o dan?ando. Elas est?o dan?ando diante de um bilh?o de "caixas", em lugares por todo mundo que encontram-se interconectados e que nos permite uma interconex?o de uma forma que nunca fizemos antes De fato, essas pessoas podem inventar novas formas de conectarem entre si O que tem sido cada vez mais f?cil Penso, portanto, nesse momento como extremamente importante Eu tentei captar algumas mudan?as que est?o acontecendo na rede com esse v?deo do ano passado que metade de voc?s deve ter visto: �A m?quina est? nos usando� (The machine is us/ing us) E comecei com texto, pensando como ? diferente do que um mundo baseado em texto Eu poderia ter come?ado com TV, e seria um v?deo t?o interessante quanto Mas eu comecei com texto no papel pensando em o que significava migrar para texto digital e o que isso de fato significa. (vou acelerar isso para n?o terem que assistir tudo) Mas em geral, o que eu estava querendo concluir ? que quando se decifra os impactos do texto digital, E se pensa sobre a separa??o entre forma e conte?do blogs, wikis, etiquetas, todas essas coisas isso nos leva a uma necessidade de pensar do que de fato se trata a internet N?o seria s? sobre informa??o Mas sobre a conex?o entre pessoas, de uma forma que nunca fizemos antes E tamb?m de formas que n?o podemos ainda prever J? que tudo muda a quase cada 6 meses, tem sempre uma nova ferramenta que nos conecta de uma nova forma Ent?o ao final eu sugeri que precisaremos repensar algumas coisas e como um antrop?logo eu vejo tudo interconectado eu realmente tenho o pressentimento de que teremos que repensar tudo Na relidade tenho uma teoria sobre cada uma dessas coisas, ent?o podem me escrever perguntas, at? sobre amor! O que realmente me supreendeu depois desse v?deo e que realmente nos leva ao ponto, n?o ? o v?deo em si, mas o que aconteceu depois. Ent?o eu publiquei o v?deo numa quarta-feira, antes de um domingo de "Super Bowl" (essa informa??o ? relevante, logo explico o porqu?) Ent?o eu na verdade fiz o v?deo por conta pr?pria em, francamente, um computador n?o muito bom no por?o da minha casa no Kansas e eu estava trabalhando sozinho, com exce??o do fato de que estava colaborando com um cara na Costa do Marfim, na ?frica j? que ele tinha publicado algumas de suas m?sicas, (e eu sou um p?ssimo m?sico!) mas ele tinha publicado as dele, sob uma licen?a Creative Commons o que significa que eu poderia us?-las para o meu v?deo Ent?o pudemos essencialmente colaborar no tempo e espa?o Ent?o na sexta-feira, 2 dias depois de ter publicado o v?deo, voc?s podem ver que ele tinha 253 visualiza??es e eu tive que fazer uma imagem da tela, pois como um antrop?logo se o seu trabalho atinge mais de 200 pessoas, isso ? demais! Ent?o... eu fiz a imagem da tela, e enviei para o chefe do meu departamento para... voc?s sabem... que fosse colocado no arquivo de 10 anos e ai... bem, isso era na sexta ent?o no s?bado os acessos tinham pulado para mais de 1000, ent?o eu pensei �ah, alguma coisa est? acontecendo�, pois estava crescendo de forma exponencial e eu podia ver o contador aumentando ent?o eu pensei �Ok, o que est? acontecendo?� E comecei a procurar na web, tentando entender o que estava acontecendo e eu descobri a resposta no digg.com Digg ? basicamente um �filtro gerado pelo usu?rio� os v?deos s?o "conte?dos gerados pelo usu?rio", e isso ? "filtro gerado pelo usu?rio" onde os usu?rios podem se reunir e podem aprovar se gostarem, ou se n?o gostarem, podem "enterrar" o conte?do e as coisas que s?o aprovadas podem aparecer na p?gina principal e aqui voc?s podem ver que ele est? aparecendo na p?gina principal, nesse processo de "filtro gerado pelo usu?rio" E a?, milhares pessoas a mais podem ver E a mesma coisa estava acontecendo no de.li.ci.ous, onde v?rias pessoas estavam etiquetando o v?deo Se vcs n?o sabem como as etiquetas funcionam, pessoas que est?o vendo o v?deo aqui, podem pressionar um bot?o e etiquet?-lo Ou seja, favoritar o v?deo, mas compartilhando-o com o mundo ent?o quando algo ? etiquetado com "web 2.0", ele volta ao de.li.ci.ous na lista "web 2.0" e tem muita gente interessada em web 2.0 que est? observando essa lista ou o que quer que seja seu interesse, se vc observar essa lista, ver? essas coisas aparecerem (blog, social, video, etc) Isso seria "organiza??o gerada pelo usu?rio" mas porque isso est? sendo distribu?do e aparecendo na p?gina inicial das pessoas, em muitos casos atrav?s de feeds RSS (e esses tipos de coisas), seria tamb?m �distrubui??o gerada pelo usu?rio� Ent?o se pensarmos nessa m?quina de m?dia massiva que tem existido por tanto tempo, e nesse sistema massivo de distributi??o e de organiza??o etc, agora temos uma "alternativa gerada pelo usu?rio" e foi isso que moveu esse v?deo pela rede Ent?o o v?deo tem tamb?m se espalhado pela blogosfera O que seria "coment?rio gerado pelo usu?rio" O legal disso ? que cada vez que algu?m bloga sobre o v?deo, ele marca um �ponto�, como pode-se dizer, no Technorati Ent?o o Technorati est? contando quantas vezes as pessoas est?o blogando essas coisas e rastreando-as, ent?o tem um sistema de ranking ... ent?o era uma manh? de domingo de "super bowl" e o v?deo aparecia nos 5 mais, eu estava totalmente tomado por isso mas n?s sab?amos que era domingo de Super Bowl, ent?o est?vamos pensando que por volta das 19h daquele dia todos os v?deos e comerciais do Super Bowl estariam na web, e o v?deo seria enxotado dos 20 mais ent?o est?vamos pressionando atualizar, atualizar, atualizar... minha mulher e eu, sentados, pressionando o "atualizar, atualizar, atualizar..." e torcendo para que o v?deo subisse para o n?mero 1, o que de fato aconteceu ... ent?o ? noitinha daquele dia era o v?deo n?mero 1 da blogosfera No dia seguinte, a maioria dos v?deos eram do Super Bowl ... mas acima daquilo tudo estava o meu v?deo ... ent?o aqui temos comerciais que custaram em m?dia 3.6 milh?es de d?lares para serem produzidos e depois serem publicados na web... ... e o meu pequeno v?deo, que n?o custou nada para ser produzido estava sentado ali no topo. Ent?o tem algo muito interessante acontecendo aqui: essa tomada foi feita h? algum tempo, mas t?nhamos 5 milh?es de visualiza??es mais de 13000 pessoas estavam escrevendo sobre ele saiu no notici?rio local, e em um dado momento ela pergunta: "quem imaginaria que ser um antrop?logo poderia ser t?o legal?" E como voc?s viram na introdu??o, saiu na "Wired", foi traduzido para 12 idiomas numa quest?o de meses e dali foi para todos os cantos do mundo Ent?o estamos de fato vivendo num diferente cen?rio de m?dia YouTube ? uma parte dele, mas de fato tem que se pensar em todo o cen?rio, n?o se pode pensar apenas no YouTube se voc? est? analisando a sua antropologia ... ent?o o meu v?deo ? um exemplo que foi postado no YouTube, enviado por e-mail, viajou pela blogosfera, foi para o Facebook, MySpace, Digg etc Isso mostra que existe uma m?dia realmente interessante e integrada nesse contexto que vivemos agora e no centro desse cen?rio da m?dia estamos n?s ... o que torna as coisas especialmente interessantes E como um antrop?logo vejo a m?dia de uma forma ligeiramente diferente N?o vejo a m?dia como conte?do e eu tamb?m n?o a penso como ferramentas de comunica??o penso na m?dia �mediando relacionamentos humanos� e isso ? importante, pois quando a m?dia muda, as rela??es humanas mudam e ? a? que a antropologia disso entra em cena e ? por isso que eu estava sugerindo que n?s teremos que repensar todas essas coisas ... incluindo n?s mesmos ent?o, o que tenho feito nos ?ltimos 2 anos com meus alunos n?s temos aproximadamente 10 alunos de gradua??o toda primavera e n?s lan?amos um estudo sobre o YouTube toda primavera vou lhes mostrar mais o menos o que fazemos esse ? mais ou menos o estilo do que fazemos: se assistimos ao YouTube, nesta parte da tela aqui e teremos uma parte para publica??o de dados aqui e os estudantes pode publicar a qualquer momento e hora em que est?o assistindo ao YouTube, al?m de poderem tomar notas sobre os v?deos e tudo isso vai para um banco de dados, em que podemos depois analisar E s? para lhes dar uma no??o de quem est? no YouTube ... ? interessante, pois trata-se da gera??o digital Mas ? interessante tamb?m olhar para as faixas-et?rias Se olharmos para a casa dos 35 anos ou mais: 25% dos usu?rios encontram-se nessa faxia de idade... ... o que na realidade ? o mesmo percentual dos adolescentes de at? 17 anos tem um grupo forte no YouTube que ? o de 18 a 24 anos e tamb?m o de jovens adultos, de 25 a 34 anos Esses s?o as faixas-et?rias mais fortes. Mais de 50% dos v?deos t?m algu?m de 18 a 34 anos neles Agora, o que est? no YouTube? A? ? que as coisas come?am a ficar interessantes... Vamos fazer um r?pido tour para ver o que est? por l? Aqui temos Irving Fields, de 92 anos, cantando sobre o YouTube Existem v?rias m?sicas sobre o YouTube no YouTube! Mas os v?deos mais comumente publicados s?o filmagens caseiras e esse ? um famoso exemplo que muitos de voc?s j? deve ter visto A maior parte dos v?deos publicados ? destinada a menos de 100 pessoas visto mais de 30 milh?es de vezes refeito e remixado mais de 2000 vezes O que ? bem interessante disso ? a natureza participativa do YouTube e isso foi refeito e remixado mais de 2.000 vezes Alguns remixes ficam super sofisticados Ent?o aqui algu?m remixou usando Frutieloops, se vc sabem o que ? (eu mostrarei para vcs em um segundo) A simplicidade de arrastar e largar de edi??o ? quase como um trabalho de copiar e colar v?deo e ?udio ... pode levar a todo tipo de coisa Por exemplo esse ? Deandre Cortes, de 16 anos, que criou uma m?sica no in?cio de 2007 usando esse programa e ele publicou esse v?deo no YouTube e no MySpace, alguns de voc?s devem conhecer a m?sica Ent?o ele publicou esse v?deo, que come?ou a se espalhar espalhar, espalhar, espalhar E n?o tardou para que as pessoas do mundo todo come?assem a fazer essa dan?a incluindo presidi?rios nas Filipinas ? um v?deo real Esses s?o professores e alunos do MIT estudando cultura participativa E aqui s?o professores do ensino m?dio ... E isso vai e vai e vai... ? um completo fen?meno Essa ? a vers?o "Hairy" Potter (Harry Potter cabeludo) vers?o do Rei Le?o E esses s?o remixes sobre o v?deo / dan?a gerados massivamente vers?o do Bob Esponja e assim vai... Ent?o isso foi em abril de 2007 Em agosto de 2007 ele assinou um contrato com uma gravadora grande, pois era um fen?meno total E quando produziram o v?deo oficial pela gravadora, eles fizeram gra?a de si mesmos A gravadora fez gra?a de si, pois ela tinha estado cega diante dessa coisa de... "conte?do gerado pelo usu?rio" estar se tornando maior do que o que eles tinham produzido ent?o eles produziram esse v?deo e voc?s podem ver que ele ? um coment?rio e como a situa??o emergiu atrav?s da web S? mais algumas observa??es sobre isso Podemos ver que tudo gira em torno das novas m?dias A produ??o acabou ficando 7 semanas no topo do "Hot 100" (as 100 mais) nada mal para algo que come?ou como conte?do gerado pelo usu?rio eles tamb?m foram nomeados para o Grammy Ent?o aqui tem algo muito interessante: quase 10.000 v?deos no YouTube (dos 200.000) dirigidos ? comunidade do YouTube todos os dias S?o v?deos como esses Mas por que? Pensando sobre o porqu?, podemos come?ar com a aus?ncia ou perda de comunidade ao longo dos tempos Robert Putnam ? famoso por conta disso mas diversas pessoas andaram analisando isso tamb?m algumas das explica??es que s?o coerentes com esse senso geral de perda de comunidade, s?o coisas como as mulheres entrando no mercado de trabalho de repente tem-se menos tempo livre o movimento de deixar as mercearias para freq?entar grandes supermercados Existe uma s?rie de fatores que est?o colaborando para isso ent?o de repente estamos nessas enormes comunidades de sub?rbio ou desconectados e conectados apenas por ruas e TVs E as TVs por si s? s?o isoladoras Ent?o existem diferentes an?lises sobre o porqu? da cultura, ou da comunidade ter estado em decl?nio enquanto isso, novas formas de relacionamentos e comunidades est?o emergindo n?s sabemos sobre os celulares Barry Wellman tem um coment?rio interessante onde ele fala que a conectividade move de lugar a lugar, para pessoa a pessoa e ele d? o nome de "individualismo em rede" se pensarmos no estado que nos encontramos agora onde estamos cada vez mais conectados em rede, mas cada vez mais individualistas percebemos uma invers?o cultural acontecendo onde nos tornamos cada vez mais individuais, mas muitos ainda t?m um forte valor e desejo de comunidade quanto mais individuais nos tornamos, mais queremos essa comunidade Nos tornamos cada vez mais independentes, enquanto desejamos relacionamentos mais fortes ... e vemos o crescimento da comercializa??o ? nossa volta, enquanto buscamos atuenticidade E o YouTube surge em meio disso tudo ... e acho que o que vemos no YouTube ? moldado por isso Esse ? um coment?rio de Robert Putnam, de 1995: "Meu palpite ? que encontrar em um f?rum eletr?nico n?o ? o equivalente a encontrar no boliche." E n?s concordamos com ele, por isso tivemos que nos envolver... Essa ? uma das minhas alunas... ... esse sou eu... Come?amos a entrar no YouTube e a participar dessa comunidade Em Antropologia n?s chamamos isso de "Observa??o Participativa" seria a base de nossa metodologia, que as pessoas precisam vivenciar dado fen?meno para compreend?-lo Isso sou eu praticando "Observa??o Participativa" em Nova Guin? Aqui estamos de volta ao YouTube Ent?o nos apresentamos ? comunidade do YouTube na primavera de 2007 ... com esse v?deo: YouTube Voc? se transmite Voc? fala, brinca, ajuda, assite... Assiste atrav?s de uma caixa de 425 x 350 pixels ... e ainda... voc? conecta, relaciona, expressa, cria Arte. Amizades. Comunidade. Voc? mesmo. N?s queremos saber como, quando, o que, onde, por que, uma etnografia do YouTube Oi, eu sou o Mike Wesh, sou professor na Kansas State University e estou lecionando uma disciplina chamada Etnografia Digital... ... etnografia ? o estudo de uma cultura... ... e n?s estamos estudando a cultura do YouTube. Eu tenho um time estudantes aqui, vamos passar pelo corredor... ...e voc?s ir?o conhec?-los... ... e isso ? importante, pois uma das coisas que fazemos na antropologia ?... o que chamamos de "Observa??o Participativa" o que significa que n?o apenas observamos o que estamos estudando, mas que tamb?m participamos daquilo. As pessoas que ir?o conhecer hoje em sala, s?o pessoas que ir?o ver no YouTube, e elas ir?o responder aos seus v?deos, postando perguntas, blogando, elas estar?o na comunidade, com voc?. Esperamos que voc? se junte a n?s on-line! Gostaria de te ver! Vamos precisar da sua ajuda! Nos visite on-line, venha conversar com a gente, ser nossos amigos! Est?vamos voltando ?quela id?ia de que quando a m?dia muda, os relacionamentos humanos mudam... est?vamos querendo ver o meio de comunidade para o YouTube... O que ? em princ?pio a plataforma em si, mas tamb?m webcams e monitores. Imagin?vamos como seria criar uma comunidade atrav?s de webcams e monitores e isso significava participar... Tivemos uma "luz" mais cedo, que voc?s ver?o dessa aluna: YouTube ? um meio para comunidade... Estou olhando para a c?mera... e eu tinha um espelho aqui para mostrar a voc?s... Ah, aqui est?! ? com ISSO que estou conversando! N?o ? com VOC?, mas com ISSO! Voc? tamb?m, mas com isso! Estou concersando, mas por enquanto n?o sei quem voc? ?... Se meditarmos nisso por um segundo e pensarmos o que isso significa... 1) Toda vez que voc? fala para uma webcam, voc? est? falando para algum lugar que ? desconhecido ... que voc? n?o sabe quem ir? te responder... ent?o voc? tem uma esp?cie de fen?meno de "audi?ncia invis?vel" ? ass?ncrono, nunca se sabe quando ir?o te assistir E sempre que voc? conversa... voc? est? mais ou menos dimensionando o contexto. E neste caso, voc? n?o sabe qual ? o contexto... Voc? pode ser lan?ado em v?rios contextos diferentes Inclusive, o seu v?deo pode ser remixado por algu?m. Ent?o voc? n?o sabe de fato o que est? acontecendo E chamamos isso de "Colapso de Contexto" Ent?o quando come?amos com os v?deos e nos inserimos nesse contexto, tivemos uma experi?ncia profunda de "Colapso de Contexto" No momento em que se olha para uma webcam pela primeira vez, e voc? tenta come?ar a falar, voc? percebe que n?o sabe... ...para quem est? falando, ent?o tudo sai estranho. Procurem nos primeiros vlogs no YouTube, que voc?s entender?o o que estou falando Ent?o aqui temos um exemplo de nossos primeiros v?deos Vou come?ar com o meu! Oi, eu sou o Mike Wesch, sou professor na Kansas State University... Eu estava com um sorriso amarelo durante o v?deo todo, N?o sabia o que fazer... Vamos tentar a tomada 2... Oi, meu nome ? Jessie e... Vou colocar a foto de uma pessoa bem aqui... Acho que eu ficaria bem melhor... se essa coisa piscasse e sorrisse e respondesse ao que eu dissesse... Essa ? a 7a vez que estou tentando gravar Amenizando o "colapso de contexto" Pensei em fazer isso antes que minha colega de quarto volte e me pegue falando sozinha... Estou na casa de uma amiga E me sinto estranha conversando comigo mesma, ao que parece N?o sei ao certo sobre o que falar... O que as pessoas falam quando postam os primeiros v?deos... Vou pular a parte de me apresentar... Meu nome ?... Meu nome ? Melissa... eu sou universit?... u-n-v-e-r-s-i-t-?-r-i-a... pronunciar... Ent?o eu s? vou falar, ok? Pra falar a verdade, eu demorei uns 5 minutos... ... pra resolver como deixaria meu cabelo: preso ou solto Tudo formando uma nova identidade, numa nova m?scara, para minha nova comunidade... Isso ? bem profundo, pois voc? tem uma situa??o em que voc? est? tentando formar essa nova m?scara ou identidade, num espa?o que parece que todo mundo est? assistindo, mas ningu?m est? l? O sentimento ? de que ? o lugar mais ?ntimo / privado, j? que trata-se do seu quarto etc Mas tamb?m ? poss?vel que seja o lugar mais p?blico do planeta... quando pensamos na quantidade de pessoas que podem de fato assistir isso Ent?o come?a a haver muita auto-reflex?o no YouTube ? um ?timo lugar para estudar sobre indiv?duo e a identidade, se forem assuntos que te interessem Vou dar um panorama disso Se pensarem no conceito de Chales Cooley de "espelho de si pr?prio" que consiste nessa id?ia de que nos conhecemos atrav?s compreens?o de como os outros nos enxergam ... e isso se torna complicado quando se est? olhando atrav?s de uma webcam, mediando sua vida atrav?s de uma webcam Vou dar-lhes um exemplo e depois prosseguimos ... voc? sabe que outras pessoas estar?o de observando, mas elas n?o est?o no segundo em que voc? est? fazendo o seu v?deo, ent?o... voc? ? mais voc? mesmo. Essa auto-reflex?o acontece quando se est? olhando para as webcams mas al?m disso, n?o est? apenas o fato de que qualquer um e todos podem estar te vendo atrav?s daquela webcam, mas tamb?m que voc? mesmo pode se ver, assistir aquele v?deo um dia Existe uma hiper-auto-consci?ncia que est? se desenvolvendo na medida em que as pessoas fazem isso "Nos vivemos num mudo da auto-reflex?o ao redor do mundo todos os acontecementos n?o est?o apenas sendo gravados, mas tamb?m retransmitidos E o mais fascinante sobre o replay ? que oferece recursos de reconhecimento A primeira vez ? congni??o, a segunda vez ? "re-cogni??o" (re-conhecimento) o reconhecimento ? ainda mais profundo" estou fazendo um blog, n?o apenas para mim, mas para qualquer um que queira assistir a minha transi??o ? definitiva e um dia olharei para tr?s (e voc? tamb?m) para ver qu?o longe cheguei ... "ent?o o replay oferece um n?vel mais profundo de consci?ncia do que a primeira exibi??o... estivemos entrando em grandes causas sobre os efeitos desses ambientes humanos, desse novo ambiente el?trico sobre o homem e sua consci?ncia de si" isso ? que ? engra?ado de falar para a camera estou olhando para minha cara e pensando: "meu Deus!" quando penso em mim, acho que n?o penso realmente em mim da forma como os outros me v?em o que ?... nova, ing?nua... "Ela ? t?o bonitinha!" N?o ? bonitinha! Geralmente no YouTube, quando as pessoas est?o diante de suas c?meras elas est?o num estado auto-reflexivo, e voc?s ver?o isso ? diversos v?deos mas exite tamb?m um outro lado: quando assitimos ao YouTube ...somos geralmente an?nimos, as pessoas n?o podem nos ver assitindo e isso tem seu pr?prio impacto tamb?m o mais famoso ? provavelmente a observa??o de Lev Grossman que diz: "Alguns dos coment?rios no YouTube te fazem chorar pelo futuro da humanidade, pela reda??o em si, n?o importando a obscenidade ou o ?dio" Essa era a p?gina em que estava quando resolvi fazer esse slide vou mostrar um pouco di?logo muito interesante isso foi respondido por wingman8788: vcs sao tao gay. paia d+. quertyu121: de q porra vcs tao falano? frecklygirl14: os comentarios do youtube me deixam nervosa grrrr quertyu121 responde: entao nao comente no youtube sua anta ent?o existe um certo anonimato + dist?ncia f?sica + di?logo raro e ef?mero criam uma possibilidade a esse tipo de ?dio (= ?dio como performance p?blica) mas existe algo al?m... esse mesmo anonimato + dist?ncia f?sica + di?logo raro e ef?mero permitem as pessoas de se sentirem relaxadas e terem a liberdade de experienciar a humanidade sem temor ou ansiedade social Voc? pode encarar as pessoas e ver quem elas realmente s?o ? algo vouyeuristico, sabe... que te permite ver outras pessoas ... sem ficar... encarando-as ou fazendo-as ficar incomodadas pois elas n?o te v?em olhando para elas voc? pode simplesmente assistir os v?deos delas e ? muito interessante... ? como uma experi?ncia sociol?gica onde voc? pode ver seu modo de ser, sua personalidade quase pegamos o conceito de James Joyce de pris?o est?tica pegamos o conceito de que as pessoas est?o vivenciando o deslumbramento da beleza daquele ser humano ? sua frente as pessoas t?m essa conex?o profunda com outros humanos atrav?s do YouTube, que talvez n?o poderiam vivenciar no dia-a-dia pois n?o lhes ? permitido encarar, ou vivenciar essa pessoa como um ser humano ent?o come?amos a analisar o porqu? disso... come?amos a analisar essa invers?o cultural que mencionei anteriormente expressamos: individualismo, independ?ncia e comercializa??o mas desejamos: comunidade, relacionamentos e autenticidade isso ? uma tens?o... enquanto indiv?duos solit?rios n?s desejamos essa conex?o mas ao mesmo tempo enquanto indiv?duos, n?s vemos essa conex?o como limitada o que buscamos atrav?s da tecnologia geralmente s?o formas de conex?o sem limita??es, uma maneira de conectar de forma profunda sem sentir o peso da responsabilidade dessa conex?o profunda o YouTube oferece essa possibilidade o que vemos no YouTube s?o pessoas se conectando de uma forma bem profunda - ? fascinante o poder desse meio... estou sentado na sala, aqui... falando com ele... (a m?dia n?o nos afasta) a intera??o ? inacredit?vel (ela nos conecta de diferentes formas) (que podem de vez em quando parecer distantes) (mas as vezes essa dist?ncia nos permite uma conex?o mais profunda do que nunca) - agorinha mesmo... eu deveria estar me preparando para .... .... .... mas eu n?o estou o que voc?s j? sabem - Oi mel, assisti ao seu v?deo desculpe o atraso - Estava ouvindo... e me senti... como se ele estivesse vindo - Desabafar ? uma "porra" de um grande experimento (e novas formas de comunidade criam novas formas de auto-compreens?o) - Estamos todos s?s, afastados dos outros e de n?s mesmos... e ? sobre isso que acho que a porra do YouTube deveria tratar - Obrigada pessoal! Muitas pessoas relatam essa experi?ncia profunda no YouTube o que pode surpreender alguns de voc?s que s? viram o c?o skatista ou o garoto do Star Wars, ou algo do g?nero mas se perguntarmos a essas pessoas na comunidade do YouTube voc? sabe... tem uma linha que foi abordada recentemente: "O que o YouTube significa para voc??" E v?rias pessoas responderam "abra?os de gra?a" Tem uma esp?cie de her?i que emergiu em meio a isso tudo e seu nome ? "um homem" J-U-A-N M-A-N ? um cara que voltou para casa em Sidney ap?s uma temporada na Gr?-Bretanha e n?o havia ningu?m para receb?-lo ele era um daqueles indiv?duos solit?rios, sem comunidade e ele sentiu que precisava de um abra?o ent?o ele come?ou essa campanha de ir ao shopping segurando uma placa de "abra?os gr?tis" e ap?s algum tempo pessoas eventualmente come?aram a abra??-lo ? uma profunda conex?o pessoas an?nimas se juntando e compartilhando abra?os e logo come?ou a se espalhar, outras pessoas come?aram a segurar placas voc?s podem ver, colocaram no YouTube, tem 30 milh?es de visualiza??es e se espalhou pelo mundo atrav?s do YouTube ent?o pessoas de todo o mundo come?aram a fazer isso e o fato disso se tornar um ?cone no YouTube ? importante para pensarmos sobre o que isso significa para pessoas que est?o tentando estabelecer conex?es tentando sentir fortes conex?es e tentando reconectar com a humanidade de alguma forma profunda Essa comunidade de YouTube n?o ? desprovida de drama ent?o agora a gente chega ? parte dram?tica algu?m aqui ? envolvido com o YouTube e faz parte desse drama? Ent?o isso vai ser divertido! em geral, o YouTube ? uma plataforma e para ser visto no YouTube... Pensem 200 milh?es de v?deos publicados todos os dias e o ?nico jeito de se chegar ? p?gina inicial ? atrav?s dos editores do YouTube e o ?nico outro jeito de ser proeminente no YouTube ? atrav?s da popularidade, mais discutido, mais recente, mais respondido, mais visto, um dos favoritos, ou mais bem ranqueados e isso ? bem desafiador existem tamb?m canais no YouTube e esses canais tamb?m s?o ranqueados, ent?o se voc? quer que as pessoas vejam o seu canal, voc? tamb?m tem que ser dos mais assinados, ent?o existem essas pessoas todas competindo para ser uma dessas estrelas, para que possam ser vistas, ent?o vou dar-lhes uma id?ia de como essas estrelas do YouTube se parecem ... ? de certa forma uma comunidade virgem, de estrelas do YouTube esse ? um dos primeiros - Oi, meu nome ? mat, esse ? o meu primeiro videoblog, ahmmmm eu s? estou aqui para dizer, nunca tive um blog de video antes... mas, voc? sabe... vou tentar pra ver se gosto ou n?o 6 dias depois... fica interessante, 6 dias depois eu vi seus v?deos e eu vi seu cora??o, eles pareceram muito profundos e gostei muito de voc?, mas sou meio t?mida pra fazer alguma coisa eu pensei em voc? e achei que seria legal ent?o esse ? o meu verdadeiro eu e eu gosto de voc? e eu realmente espero que voc? tamb?m goste de mim - ent?o isso se transforma em uma hist?ria de amor ent?o nos mes seguinte tivemos no YouTube os 2 trocando id?ias e criando uma hit?ria de amor e milh?es de pessoas est?o conectando para assistir isso ent?o eles tamb?m se tornam as primeiras estrelas no YouTube ... no come?o do YouTube... e a?... em 26 de abril de 2006, esse ? o v?deo que foi postado Boa noite, voc? est? assistindo ao Jornal da BBC. O garoto de Ohio foi brutalmente morto ao chegar em casa hoje a pol?cia suspeita que o assassino usou um tipo de tubo para matar a "Sensa??o" da internet. Apesar das causas n?o estarem claras acredita-se que o garoto do e-mail, um ingl?s do Rugby, foi morto por se mascarar em um time americano. Pouco antes de morrer, ele fez essa declara??o: - Ol?, sou eu, o Mat outra vez. Voc?s podem perceber que eu n?o sou um garoto de Ohio eu achei que seria divertido me mascarar enquanto tal mas infelizmente algu?m ontem... achou meu perfil verdadeiro no MySpace Ent?o aqui as coisas ficam interessantes... Surge uma crise de autenticidade no YouTube Era uma garota de 16 anos, cabe?a dura, que estava trancada no quarto e ela tinha que achar uma forma de se divertir Ol? pessoal, esse ? o meu primeiro videoblog Lonelygirl15 come?ou a postar em junho de 2006 Aquilo foi bonitinho, engra?ado Numa quest?o de semanas ela era a segunda mais assinada no YouTube - Cada um dos seus v?deos s?o t?o interessantes... Entretanto, o debate no YouTube foi para o lado de sua autenticidade. eu visitei o site de f?s lonelygirl15.com quando comecei a postar, devia haver... n?o havia mais que 38 respostas e... em alguns dias simplesmente explodiu... 200 - Confira isso aqui ... desistindo do v?deo voc? ? uma farsa ou ? real? Mais cedo hoje, bravegirl5 postou um v?deo chamado "Lonelygirl15 n?o est? de forma alguma brincando" Eu n?o sei se essa not?cia ? verdadeira, eu n?o sei se ? real, eu n?o tenho nenhum conhecimento subtancial disso, al?m do que as pessoas me contaram, mas... Lonelygirl ? uma farsa Essas suspeitas foram confirmadas. Para alguns Lonelygirl15 era um esp?rito juvenil virtual para outros uma ?bvia novela adolescente Muitos acreditavm que ela era uma estudante adolescente americana mas ela foi revelada como a neozelandesa Jessica Rose A novela foi fruto do trabalho de 3 aspirantes a roteirista Esse projeto foi feito em um quarto com uma webcam de US$130 e duas c?meras Nossa inten??o no come?o era de contar uma hist?ria de fic??o muito real Todo mundo est? louco, pois foram enganados as pessoas n?o gostam de ser enganadas YouTube n?o ? para coisas falsas! ? para coisas reais! Est? parecendo que isso tudo pode se transformar numa bruxaria e as pessoas podiam come?ar a aprisionar todos aqueles que est?o fingindo ser aquilo que n?o s?o quem ? e quem n?o ? real? se n?o for real, voc? deveria contar aos outros... Os criadores sustentam o argumento "Quem ? ela? Lonelygirl15 ? um reflexo de todo mundo" ? muito po?tico! E eles continuam, dizendo: "Ela n?o ? mais real ou ficcional que as partes de nossa personalidade que escolhemos mostrar (ou esconder) quando interagimos com pessoas." Muito sociol?gico / antropol?gico Isso levou a uma s?rie de postagens de pessoas refletindo sobre o YouTube se o YouTube poderia ser verdadeiramente aut?ntico, levando-se em conta a capacidade de produ??o Eu gostaria de revelar que eu tamb?m sou uma farsa Eu n?o ajo como esse personagem imbecil na vida real Porque faria tantos gestos e porque estaria gritando para a minha c?mera??? N?o faz sentido algum! Estou atuando! Somos todos produtores Todo mundo ? produtor no YouTube Produzindo n?s mesmos... A primeira coisa que voc?s ir?o reparar ? essa tela verde ? uma tela verde que me permite alterar o fundo das imagens re-tomando identidade... E agora n?s vamos acertar isso, vamos tentar novamente editando suas pr?prias hist?rias... Eu j? tive 60 v?deos na minha p?gina, agora tenho 27 Est? ficando cada vez mais f?cil "remover" v?deos desse site brincando com identidade... Na realidade eu sou uma garota de 18 anos do Connecticut Qual ? o seu Eu verdadeiro? ? diferente ter diversas faces do que ter uma face muito diversificada - Eu n?o sei mais o que fazer! - Ou voc?s preferiam que eu fizesse v?deos como esse o tempo todo? - Esse ? mais o seu "docinho de coco"? conte-me, que eu n?o sei! - Ou voc? prefere baixo e sujo com a mam?e aqui? Voc? n?o sabe o que ? real aqui ou o que n?o ? real Eu fui a pessoa, eu e a garota emo... n?s fizemos o YouTube ser o que ele ? hoje N?o queremos farsas aqui, n?o queremos fraudes, n?o queremos mentirosos Livrem-se das farsas e das mentiras Se voc? for desempenhar um papel, ser um ator ou uma atriz no YouTube Conte para todo mundo que est? desempenhando um papel Tem algo mais interessante sobre isso pessoas come?am a enganar o sistema para obterem mais visualiza??es Por exemplo, a "miniatura" que ? usada em seu v?deo corresponde ao meio exato do v?deo que voc? publica ent?o pessoas come?am a colocar pequenos flashes no meio Ent?o se olharmos hoje... 2 ou 3 dos 10 mais ser?o algum tipo de "miniatura" sexy e funciona, por exemplo... esse aqui, que foi publicado com essa miniatura consegue mais de 2 milh?es de visualiza??es Ao enganar o sistema, se exp?e o sistema ao mesmo tempo que ? mais ou menos a natureza l?dica do YouTube Esse aqui por exemplo ? sobre conhecimemntos m?dicos de como dormir melhor Esse aqui ? sobre neutralidade da rede, uma coloca??o pol?tica s?ria E esse aqui ? da LisaNova (A PUTA DO TWITTER parte 2) e ataca diretamente esse fen?meno das pessoas publicarem esse tipo de coisa - Voc? est? cansado de todas essas "miniaturas" sexy e v?deos lugar-comum da m?dia que dominam esse site e que impedem o seu v?deo de alcan?ar a exposi??o que merece? Eu estou de saco cheio dessa merda Eu tamb?m!!! Antes o site era cheio de lindos "conte?dos gerados pelo usu?rio" como os seus! Ent?o ela oferece esses pequenos clipes que voc? pode colocar no meio do seu v?deo voc? pode ter uma mulher sexy com uma metralhadora - Viu como funciona? Basta pegar o seu personagem da LisaNova, inserir no meio de seu v?deo e obter a exposi??o que voc? merece. As possibilidades s?o infinitas!!! Est? na hora de devolver o YouTube aos membros "gerados pelo usu?rio" que construiram esse site Ent?o esse ? um exemplo de algo maior Cultura de m?dia seria, l?dica, participat?ria que tem se estendido para o mundo real 19 de abril de 2007 Isso foi parar no YouTube e se espalha em 3 dias Bom-bom-bom-bardear o Ir?... Nenhuma desculpa pela par?dia musical que muitos ao redor do mundo entenderam como um sinal de seu pensamento verdadeiro quando nos juntamos, a gente brinca. E eu estava brincando. (colapso do contexto) Esse ? o colapso do contexto no dia-a-dia que todos encaramos agora Nunca sabemos onde haver? uma camera e quando ser? publicado no YouTube Ent?o isso tem afetado profundamente nossas vidas Os homens de marketing tamb?m t?m tentado ter destaque tentando fazer a cultura participativa trabalhar por eles Aqui a Chevrolet te permitia pegar clipes do novo carro (Tahoe) fazer seu pr?prio comercial, adicionar sua trilha sonora, seu texto etc E esse ? o resultado N?s cal?amos a natureza, desflorestamos colinas N?s minamos nossas montanhas E nos vendemos por petr?leo Para trazer para voc? essa linda m?quina Para que voc? possa finalmente dirigir Para ver o que restou de nossa vida selvagem O que est? acontecendo ? bem profundo onde podemos remixar essa cultura que tem sido despejada em n?s N?s podemos peg?-la, reapropri?-la e devolv?-la Essa ? uma das coloca??es mais po?ticas disso foi feito pela "blimvisible" Podemos ouvir ao fundo as letras de Regina Spector onde ela diz que "apesar das nossas partes serem usadas" Esses s?o todos clipes de filmes e ela diz que "estamos vivendo num covil de ladr?es... ... procurando por respostas nas p?ginas" ? realmente uma coloca??o po?tica poderosa j? que muito do que fazemos ? ilegal qualquer remixagem ? basicamente ilegal podeos falar mais dos par?metros disso... Temos leis de uso justo que deveriam proteger. O simples ato de abrir um DVD ? ilegal o que torna todo o que fazemos ilegal ent?o nos encontramos no estado... Aqui temos a coloca??o de Lawrence Lessing sobre o tema Temos que reconhecer: n?o se pode matar o instinto que a tecnologia produz podemos apenas criminaliz?-lo. N?o podemos impedir nossas crian?as de us?-la. Podemos apenas direcion?-la ?s margens. N?o podemos fazer nossas crian?as passivas de novo podemos apenas faz?-las "piratas" E isso ? bom? Vivemos em um tempo estranho uma idade de proibi??es, onde em muitas ?reas de nossas vidas, vivemos a vida constantemente contra a lei pessoas normais vivem contra a lei e ? isso que estamos fazendo com nossas crian?as elas vivem a vida sabendo que est?o contra a lei Essa percep??o ? extraordinariamente corrosiva extraordinariamente CORRUPTIVA e em uma democracia, devemos poder fazer melhor E a melhor parte desse v?deo da Lim ? o comentr?rio de algu?m: "Meu Deus, voc? est? fazendo isso para sobreviver? Nunca vi algo assim, voc? ? uma artista!" E a resposta dela foi: "N?o, sou uma dona de casa" E essa ? a beleza do YouTube hoje em dia O mais interessante ? que n?o s?o apenas pessoas trabalhando sozinhas e produzindo mas o fato de milhares de pessoas ao redor do mundo poderem colaborar juntas MadV se tornou uma esp?cie de plataforma para isso Podemos ver que ele permanece an?nimo o que o permite de ser mais do que uma plataforma Pessoas participam atrav?s dele e ele faz umas chamadas como essa "Fa?a uma declara??o em sua m?o e mostre ao mundo" e ele demosnstra aqui esse se torna o v?deo mais respondido da hist?ria do YouTube milhares de respostas, pessoas escrevendo em suas m?os mensagens. Ent?o quando pensamos nessa webcam, pensamos em pessoas em casa, onde quer que estejam, o que elas podem alcan?ar ao falar as mensagens s?o bem reveladoras, al?m de poderosas Aqui est? uma amostra Voc? n?o est? s? Eu acredito em voc? Ame voc? mesmo - nesse lugar auto-refletido as pessoas est?o pensando em si, dizendo, ame-se, ame ao pr?ximo, amo voc? A conex?o aqui ? a chave estamos todos conectados Quando vemos pessoas exprimindo valores como esses ? constante, pois parece que s?o valores que est?o faltando em suas vidas um valor cultural geralmente ? algo que n?o ? t?o freq?ente como gostariam de ver e por isso precisa ser falado ao final vemos muita "unicidade" quebra de barreiras etc "um mundo" N?o ? uma comunidade completamente amoral ou imoral s?o valores muito fortes que t?m emergido Estava vendo isso e lembrei de alguns coment?rios que foram feitos sobre o primeiro "nascer da Terra" Quando as pessoas viram a Terra nascendo, aquela primeira foto Karl Seagan ? com certeza o mais famoso por seu poema que fala sobre o ponto azul p?lido da foto da Voyager de 1990 e ele descreve o ponto azul. Essa ? uma foto da terra em um raio de Sol E ele diz... "Considerem novamente aquele ponto ? aqui ? casa somos n?s nele todos que amamos todos que conhecemos todos que j? ouvimos falar todo mundo que j? viveu sua vida, todo mundo... E ele continua dizendo: O ponto azul p?lido, a ?nica casa que j? conhecemos Ent?o ao fazer esse projeto, olhando para a minha webcam eu fiquei pensando sobre o pequeno ponto de vidro e minha veia po?tica aflorou, se me d?o licen?a Ela tamb?m pode n?o parecer de nenhum interesse particular, mas considere novamente aquele ponto ? l?, ? outro lugar, ? todo mundo do outro lado desse pequeno ponto de vidro est? todo mundo que voc? ama, que voc? conhece, que voc? j? ouviu falar, que est? vivendo sua vida e tem acesso ? internet bilh?es de espectadores potenciais e seu futuro eu, entre eles alguns chamam de o maior e o menor palco o espa?o mais p?blico do mundo. Da privacidade de nossas casas... Pode ser usado para diversos fins: palanque pol?tico, um palco pro comediante um p?lpito, o p?dio de um professor, ou simplesmente uma forma de comunicar com um vizinho de porta, ou do outro lado do mundo pessoas que amamos, pessoas que queremos amar ou pessoas que nem mesmo conhecemos para partilhar algo profundo ou trivial, algo s?rio ou algo engra?ado para buscar a fama, ou simplesmente conectar podem ser v?rias coisas, mas n?o pode ser apenas uma N?o pode ser aquilo que apenas voc? quer que seja N?o ? apenas o que voc? faz dele, mas o que N?S fazemos dele ? um pequeno ponto de vidro e os olhos do mundo Para desfechar, gostaria de apresent?-los a uma esp?cie de her?i meu: bnessel1973 alguns de voc?s j? devem ter visto seu trabalho. Ele perdeu seu filho no in?cio de 2007 vou deix?-lo fechar com suas palavras 17 de abril de 2007 Criar personagens me deu uma escapat?ria me permitiu ser bobo, me permitiu agir como gostaria de sentir se tornou uma forma de terapia, um mecanismo para lidar com tudo e, depois de um tempo, trouxe divers?o de volta ao YouTube para mim Voc? aceitou meus personagens, at? abra?ou-os e fazendo isso, voc? estendeu seus bra?os para mim O que me permitiu a fuga que ainda precisava dos tempos dif?ceis enquanto me davam a chance de falar sobre o que tinha passado e sou eternamente grato a voc?s todos Algumas pessoas disseram que os v?deos criados para o YouTube deveriam ter o objetivo de mudarem o mundo Eu fiz os meus para me ajudar a viver no mundo n?o importa se eu fizer mais 100 ou 1000 eu saberei para sempre que esse site, me ajudaram a viver novamente e tem algo muito especial nisso Dedicado a Gary Brolsma Obrigado por come?ar a dan?a. Por Michael Wesch E o grupo de pesquisas de etnografia digital da Kansas State University Para maiores informa??es e v?deos, acesse: mediatedcultures.net Se voc? estiver interessado na antropologia do YouTube, confira o canal da Prof. Patricia Lange "Antrovolg" e o blog: anthrovolg.wordpress.com Nenhum agradecimento seria suficiente para a comunidade do YouTube em qualquer lugar, por bravamente dar formas a novas comunidades e novos mundos culturais com as quase infinitas possibilidades da web com v?deo

Video Details

Duration: 55 minutes and 33 seconds
Country: Brazil
Genre: None
Producer: Michael Wesch
Views: 700
Posted by: sucohen on Aug 21, 2008

Presented by Prof. Michael Wesch at the Library of Congress, June 23rd 2008.

Caption and Translate

    Sign In/Register for Dotsub to translate this video.