Watch videos with subtitles in your language, upload your videos, create your own subtitles! Click here to learn more on "how to Dotsub"

Merrill on Instructional Design

0 (0 Likes / 0 Dislikes)
Estou no ramo do design instrucional por quase 40 anos. Nesse tempo eu vi sistemas para oferta de instrução chegarem e irem embora. Quando entrei nesse campo a televisão educativa era a moda e todos tinham seu estudio de TV. Então tivemos a ascenção rápida da instrução programada, que chegou e foi embora um tanto rápido. Tivemos então instrução baseada em computadores em formas variadas por 2 ou 3 décadas. E fomos para a multimídia quando nos tornamos capazes disso. Com todas essas coisas que vem e vão as pessoas gastam um bom tempo se envolvendo com a tecnologia. É interessante para mim, no entanto, à medida em que nos movemos para dentro da Internet. As coisas se tornaram cada vez mais fáceis de se fazer, até o ponto que quase qualquer um pode fazer um site atualmente. Mas o efeito disso na instrução, na minha impressão, é que piorou. Nos tornamos menos efetivos. É tão fácil depositar informações na web que a maioria dos sites denominados como ciência educacional são na verdade depósitos de informação. Nesse ponto é o que as pessoas chamam de ´shovelware´: jogue seu curso de qualquer jeito na Internet. A maior parte disso tem muito pouca efetividade. Na verdade muita instrução, mesmo aquelas criadas por empresas de alta reputação. Algumas vezes mostram-se relativamente inefetivas. Isso acontece porque violam princípios que sabemos serem importantes para que a aprendizagem aconteça. Ao longo de muitos anos fiz um estudo cuidadoso sobre muitas teorias de design instrucional, e fiz muita pesquisa sobre instrução que está por aí. E a partir daí tentamos extrair esses princípios essenciais. Embora haja muitos detalhes sobre esses princípios, as coisas que fazem mais diferença são realmente simples. Em primeiro lugar precisamos mostrar às pessoas o que estamos tentando ensinar a elas, ao invés de apenas dizer a elas. Tanta instrução é apenas dizer, dizer, dizer... e não mostramos o que fazer. Em segundo lugar precisamos dar os meios e oportunidade para que pratiquem o que aprenderam e isso não significa responder apenas exercícios de múltipla escolha. Nos referimos a isso como exercícios de memória. Ao invés disso é melhor que façam algo ao pedirmos que se envolvam e classifiquem instâncias ou se envolvam na realização de algum procedimento. Ou que se envolvam na realização de predições ou resolução de problemas em tarefas mais complexas. Consequentemente a maior parte do que se chama prática não é prática de modo algum. Não é na verdade uma forma de aplicação. Finalmente temos todo tipo de fala sobre motivação. Motivação é talvez a coisa mais importante de todas. Algumas pessoas disseram que se os estudantes estiverem motivados não há muito mais o que fazer. Bem isso não é verdade. Se você levar um cavalo até um poço vazio ele ainda morrerá de sede se não houver água lá. Nós podemos motivar alunos para pedaços, mas se não houver substância e se tivermos violado outros princípios instrucionais ainda assim eles não vão aprender. Na verdade com freqüência temos um conceito falso sobre o que é motivação. Pensamos que motivação vem de animações, jogos e educação com entretenimento. Quando na verdade essas são formas de ganhar a atenção mas motivação real vem da aprendizagem. Motivação real acontece quando os estudantes são capazes de fazer algo que antes não eram capazes. E aprendizagem verdadeira acontece quando aplicamos princípios instrucionais básicos. E esses princípios incluem pelo menos a demonstração do que deve ser aprendido. Que os aprendizes façam na prática o que estão aprendendo. E fazer isso no contexto de um problema do mundo real. A melhor motivação de todas é fazer com que os estudantes aprendam uma tarefa do mundo real. E eu garanto que responder a questões de múltipla escolha não é uma tarefa do mundo real. Então os estudantes querem aprender a fazer coisas. Eles participam de cursos por que querem aprender a fazer coisas. Eles querem fazer coisas que não eram capazes de fazer antes. Se nós conseguirmos identificar o que é isso, e se conseguirmos apresentá-lo como a primeira parte de nossa instrução e dizer ao final desse curso, ao final deste módulo você será capaz de cumprir essa tarefa ou será capaz de fazer essas previsões, ou será capaz de ter performance em certo modo. E então mostrar a eles o que precisam fazer para conseguir cumprir aquela tarefa ou ter a performance daquele modo. A motivação deles será muito aumentada. Resumindo, parece haver três coisas muito essenciais que, penso que todos sabem mas não parece que fazemos muito em nossa instrução. Isto é: precisamos demonstrar o que será aprendido, precisamos dar a chance de que apliquem o que estão aprendendo e precisamos fazer isso no contexto de problemas do mundo real. Isso é o que descobri e fico muito decepcionado quando olho na Internet e vejo tantos cursos que violam esses princípios básicos. Obviamente há coisas sutis nessas coisas e há detalhes nessa apresentação em particular. E vamos falar de alguns desses detalhes, mas há mais deles. Mas mesmo que pensemos apenas no básico, e tivermos apresentação, aplicação e foco na resolução de problemas Vamos melhorar e muito a instrução que está por aí. Minha esperança é que vocês que estão assistindo a este vídeo ou participando deste curso Serão capazes de coletar idéias que irão ajudar a criar instrução mais efetiva e eficiente que ajude os estudantes a realmente aprender.

Video Details

Duration: 5 minutes and 41 seconds
Country: United States
Language: English
Views: 4,371
Posted by: regist on Feb 18, 2009

This is a brief introduction to Dr. Merrill's thoughts about instructional design.

Published with Dr. Merrill´s authorization.


Portuguese subtitles by:
Livre Docencia Tecnologia Educacional
www.livredocencia.com.br

Caption and Translate

    Sign In/Register for Dotsub to translate this video.